quarta-feira, março 06, 2013

Mudança de acesso ao blog

Olá pessoal, boa tarde! Esta postagem é para compartilhar um desejo antigo concretizado em 2013: o meu novo site profissional www.drasimonecosta.com.br. No site, vocês verão que todas as postagens aqui do blog foram repassadas para ele, na página BLOG. Portanto, a partir de agora postarei no blog por meio do site. Faço um convite para que continuem nos acompanhando e participando por lá. Inclusive já temos uma nova postagem. Visitem-nos: http://drasimonecosta.com.br/?page_id=22

Um abraço!!!

quinta-feira, janeiro 24, 2013

As fitas para clareamento dispensam o acompanhamento profissional?



http://www.oralb.com/brazil/products/Oral-B_Fitas_Branqueadoras/#gallery-0

Há pouco tempo surgiu no mercado brasileiro um produto para uso caseiro que, de acordo com o fabricante, é citado da seguinte forma: 

"Dentes visivelmente mais brancos em três dias. Resultados ainda mais extraordinários em uma semana garantido. Seguro para o esmalte dental: eficiente ingrediente branqueador, que não causa dano ao esmalte, usado por dentistas."
(http://www.oralb.com/brazil/products/Oral-B_Fitas_Branqueadoras/?gclid=CJ7Ci5algbUCFQcHnQoduXkAdg)

Inevitavelmente surgem algumas questões: 

  • Ainda é necessário ir ao dentista para fazer o clareamento?
  • Todos, sem exceção, podem fazer clareamento dental?
  • Os agentes clareadores são cosméticos, ou seja, podem ser vendidos em farmácias, supermercados,  internet etc sem qualquer tipo de controle ou fiscalização?
  • Um produto com custo significativamente menor é realmente tão eficaz quanto um tratamento realizado com indicação, planejamento e monitoramento profissional?


Como profissional da Odontologia, com formação específica na área de Dentística, ou seja, especialidade que estuda diretamente todas as questões relacionadas aos agentes e técnicas clareadoras, gostaria de esclarecer e discutir alguns pontos:

1. O clareamento caseiro não apresenta indicação irrestrita. Em alguns casos, o paciente não poderá fazer o procedimento ou, no mínimo, terá que adiá-lo até que outros problemas sejam resolvidos (cárie, gengivite etc). Não necessariamente estes problemas bucais são acompanhados por sintomas, sendo assim, o paciente poderá apresentar situações que contra-indiquem o clareamento e como ele saberá antes de comprar o produto de auto-aplicação se não há a indicação de um profissional qualificado?

2. Realmente, o agente clareador existente no produto Oral-B Whitestrips (peróxido de hidrogênio a 10%, de acordo com as especificações do fabricante) é utilizado na técnica do clareamento caseiro supervisionado. Nesta técnica, a literatura científica recomenda utilizar o peróxido de carbamida nas concentrações entre 10 e 16% ou o peróxido de hidrogênio nas concentrações entre 6 a 7.5%. Neste caso, o produto em questão utiliza uma concentração um pouco maior do que a recomendada cientificamente para uso caseiro. 

3. Na técnica do clareamento caseiro supervisionado por dentista o agente clareador é colocado em uma moldeira personalizada, ou seja, confeccionada após moldagem das arcadas do paciente. Dessa forma, é indiscutível a melhor acomodação do material, sem que haja extravasamento do mesmo para a gengiva, o que poderá promover irritações. Além disso, haverá menor deglutição do material, maior contato do mesmo com o esmalte dental e a possibilidade de aplicação em todos os dentes. As fitas clareadoras abrangem normalmente os dentes de canino a canino, ou seja, os seis dentes anteriores.

4. Os agentes clareadores têm como efeito adverso a sensibilidade dental durante o tratamento e esta sensibilidade varia de acordo com vários fatores que só um profissional qualificado poderá identificar para ajustar o tipo de técnica e a concentração do produto, pois o nível de sensibilidade precisa ser encarado como um alerta da polpa (tecido dentário responsável pela vascularização e inervação dentária).

5. Há ainda os casos de manchamentos mais severos que podem não responder aos agentes clareadores ou haver a necessidade de associação de técnicas para que tenhamos um resultado efetivo.

6. A literatura científica demonstra que as técnicas clareadoras são seguras e não promovem danos desde que sejam respeitadas questões como correta indicação e uso das mesmas. A auto-aplicação sem supervisão profissional pode levar ao uso em casos contra-indicados ou ao sobreuso, pois se o mesmo é vendido livremente uma pessoa desinformada poderá utilizá-lo rotineiramente. Quais seriam os danos? Pergunta sem resposta científica, ou seja, baseada em evidências...

Existem estudos científicos avaliando a efetividade e a segurança do uso das fitas clareadoras, contudo, em todas estas pesquisas questões preliminares foram determinadas e o acompanhamento profisssional foi imprescindível. A principal questão associada a toda esta discussão é: o que está em jogo não é a capacidade do produto em promover o clareamento, mas sim o risco da sua utilização sem a orientação e o acompanhamento profissional. Pensem nisso...

sexta-feira, junho 29, 2012

Nova casa


Desejos de um ótimo final de semana a todos e passando para reforçar o nosso novo endereço. Agendem uma visita, será um prazer recebê-los.

quinta-feira, junho 28, 2012

Boa noite a todos! Esta postagem é para comunicar aos leitores a mudança de endereço do local de atendimento:

Rua Alves de Brito, 141/Sala 606
CEP: 88.015-440
Centro - Florianópolis/SC
Telefone: (48) 3371-5055

Agende uma visita!!! Em breve postaremos imagens da nova estrutura.

sábado, janeiro 28, 2012

Microabrasão do esmalte: uma alternativa para manchas dentais

Olá leitores! De volta às nossas postagens, hoje falaremos sobre uma alternativa de tratamento odontológico para a remoção de manchas dentais: a microabrasão do esmalte.

O esmalte dental pode ser acometido por manchas e um exemplo simples são os manchamentos provocados pela deposição de pigmentos provenientes da dieta (consumo exagerado de vinho tinto, açaí, café, chimarrão etc) e maus hábitos de higiene bucal. Nestes casos, as manchas são de natureza extrínseca, ou seja, estão depositadas na superfície do esmalte e normalmente podem ser removidas por raspagem dental, seguida de uma profilaxia.

Entretanto, algumas manchas dentais podem ter sido originadas a partir de um trauma dental, pela ingestão de medicamentos no período de formação dos dentes (tetraciclina é um exemplo), pela ingestão excessiva de flúor (fluorose), por desmineralização do esmalte (estágios iniciais da cárie) ou simplesmente por má formação do esmalte dental (hipoplasia do esmalte). Nestes casos, as manchas são de natureza intrínseca, ou seja, estão incrustadas no tecido e sua correção nem sempre é fácil.


Nos casos em que as manchas de natureza intrínseca são superficiais, pode-se lançar mão da técnica da microabrasão do esmalte. Nesta técnica, o profissional utiliza um agente ácido (ácido clorídrico) associado a um agente abrasivo com o objetivo de remover a camada superficial do esmalte que se encontra alterada, expondo uma porção deste tecido sadia e livre de mancha.

Com o objetivo de fazê-lo compreender melhor, caro leitor, faço uma comparação (objetivando pura e simplesmente o melhor entendimento) deste procedimento a uma espécie de "peeling". Afinal, haverá a remoção de uma camada superficial irregular e manchada, expondo uma subsuperfície livre de irregularidades e manchas.

A microabrasão do esmalte é uma técnica simples, de baixo custo, segura e que preserva a estrutura dental, pois a remoção do esmalte é imperceptível a olho nu. Contudo, o resultado final (remoção da mancha) é imprevisível. Em alguns casos, haverá a remoção completa da mancha, em outras situações uma remoção parcial, podendo, ainda, não ser obtida qualquer mudança.

Apesar da imprevisibilidade do resultado final ser uma desvantagem, muitas vezes o profissional opta inicialmente por esta técnica por ser não invasiva (preserva estrutura dental). Caso não haja resultado satisfatório e a mancha interfira negativamente sobre a estética do sorriso, o único recurso disponível é a restauração da mancha. Por isso, normalmente os profissionais preferem tentar inicialmente a microabrasão antes de optar por um procedimento mais invasivo.

Se você apresenta manchas dentais que comprometem a estética do seu sorriso, consulte um profissional qualificado para que seja diagnosticado o tipo de mancha e qual a melhor forma de tratamento para corrigi-la. Um forte abraço e bom final de semana!!!

quinta-feira, janeiro 19, 2012

Clareamento dental sem acompanhamento profissional: um alerta!

Olá leitores! Na postagem de hoje, resolvi compartilhar com vocês uma reportagem da revista VEJA publicada no ano de 2010 que fala sobre os problemas que podem advir do clareamento dental sem indicação ou supervisão de um profissional qualificado. É preciso encarar tal procedimento de forma séria. Uma boa leitura!!! Dúvidas e sugestões são muito bem-vindas... Um grande abraço!!!